PASTORAL DA FAMÍLIA

PATRIARCADO DE LISBOA

Facebook Siga o nosso canal Youtube Contacte-nos

Crer em Deus

Crer em DeusTodos nós procuramos um sinal de Deus e não invariavelmente dizemos "Graças a Deus", sem nos darmos conta do verdadeiro sentido destas palavras. Deus Pai Todo-Poderoso e Criador do Céu e da Terra quer ser Alguém em quem nós acreditemos e em quem nós possamos por toda a nossa confiança.

Devemos ter presente que a criação, como dom de Deus, é um ponto comum para todos nós. A criação como grande dom de Deus do qual vivemos, no qual Ele se revela na sua bondade e grandeza.

Ao criar o mundo, Deus confere-lhe leis próprias e uma harmonia interna, de modo que o acreditar em Deus jamais entrará em contradição com a ciência. Afinal, o facto de podermos perceber que a ciência nos permite conhecer melhor o funcionamento do mundo não nos impede de tentar saber e querer conhecer quem o criou.

Deus, vendo toda a sua obra, considerou-a muito boa (Gn 1, 31). Com a criação do ser humano, Deus deu-nos a possibilidade de usufruirmos da sua obra; de dominarmos a terra e nela fazermos o nosso ninho de felicidade. O homem é um ser único, possuidor de um património individual riquíssimo, cada um diferente do outro pelas suas características genéticas e culturais. Aliás, somos diferentes e insubstituíveis face ao resto do universo.

A Fé diz-nos: Deus existe, Deus é bom, eterna é a sua misericórdia. E assim a Fé abre-nos a estrada para o futuro, mesmo na escuridão de um dia, de um período difícil: é luz e estrela que nos guia.

Na nossa angústia, recordou-se de nós, porque o seu amor é para sempre; libertou-nos dos nossos adversários, porque o seu amor é para sempre (Salmo 136,vv. 23-24).

Entretanto, tal como é verdade que o Senhor faz existir todas as coisas agora, também é agora que o Senhor Deus nos faz existir a cada um de nós enquanto ser único: masculino ou feminino, em que Ele pretende manifestar a sua alegria. Assim se justifica a afirmação de Santo Agostinho "Deus é-me mais íntimo que eu próprio". Deus conhece cada um, no seu íntimo, melhor do que nós mesmos, pois pensou em cada um, elegendo-nos desde sempre, apesar das circunstâncias da nossa vida e das nossas próprias acções.

Deus criou-nos com o poder de designarmos as coisas, ou seja, temos pela inteligência a capacidade de conhecer a realidade. E assim, pela liberdade, temos a capacidade de escolher e de amar. Deus não nos criou como escravos a quem se obrigue a cumprir a sua vontade. Deus é amor e quere-nos para sermos imagem desse amor.

Com a nossa capacidade de conhecermos e amarmos, Deus constitui-nos seus filhos adoptivos e espera de cada um de nós uma resposta ao seu amor. Já S. Paulo nos orienta para este mistério ao dirigir-se aos Filipenses "Irmãos: Não vos inquieteis com coisa alguma. Mas em todas as circunstâncias apresentai os vossos pedidos diante de Deus, com orações, súplicas e acções de graças" (Fl 4, 6).

Com esta coluna de Catequese Doméstica pretendemos dar algumas pistas de reflexão para estimular e intensificar a participação das famílias na evangelização e na catequização dos seus membros. Sejamos pois anunciadores com alegria do dom da vida divina ao homem, como o núcleo da vida cristã.

Share

Próximos eventos

No events