Um mundo sem Deus?

Um mundo sem Deus?Ao lançar o Ano da Fé, Bento XVI desafiou os católicos a enfrentarem o avanço da "desertificação espiritual" que se espalhou pelo mundo, nas últimas décadas.

Qual seria o valor de uma vida, de um mundo sem Deus, já se podia perceber no tempo do Concílio a partir de algumas páginas trágicas da história, mas agora, infelizmente, vemo-lo todos os dias à nossa volta: é o vazio que se espalhou.

 

Jesus afirmou que toda a Lei do Antigo Testamento se poderia resumir num único mandamento: o amor. Se amarmos verdadeiramente a Deus e ao próximo estaremos a cumprir o essencial para criarmos um mundo melhor e seremos um exemplo de fé.

A fidelidade nasce do amor e só quem ama é capaz de ser fiel. É assim nas nossas relações humanas e é assim também na relação com Deus. Se as famílias não vivem a fé cristã, a sociedade e o mundo ficam sem esperança de um futuro melhor, em prol da justiça.

Com firme certeza, acreditamos que o Senhor Jesus derrotou o mal e a morte. Com esta confiança segura confiamo-nos a Ele que está no meio de nós e que vence o poder do maligno.

É necessário, portanto, promover situações e experiências de trabalho doméstico, com estudo e tarefas ocasionais que ajudem a crescer. Da mesma forma, cabe aos pais ajudar os seus filhos a descobrirem a própria vocação de vida, em paralelo com a descoberta da vocação cristã.

Em família experimenta-se que não é possível a cada um realizar-se sozinho, mas que a relação com os outros é essencial para dar sentido e substância à própria vida.