PASTORAL DA FAMÍLIA

PATRIARCADO DE LISBOA

Facebook Siga o nosso canal Youtube Contacte-nos

"Sim, Creio"

Professar a fé é dizermos para cada um de nós e para o mundo que acreditamos em Deus. É dizer a Deus que acreditamos na Sua manifestação em três Pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo. É dizer que fazemos parte da Igreja, Corpo de Cristo, que se alimenta e renova pela Palavra e pelos Sacramentos - sinais sagrados que têm significado e produzem efeito.

Hoje, mais do que nunca, é pedida uma catequese continuada, de carácter familiar, que se inicia logo que as crianças começam a ter conhecimento e aprendem, naturalmente, a expressão do amor. Uma catequese que crie raízes, começando pela visualização dos símbolos cristãos. Por isso, os pais são convidados a traçar o sinal da cruz na testa das crianças apresentadas ao batismo.

Onde dois ou três estiverem reunidos em Meu nome, Eu estarei no meio deles (Mt 18, 20). Esta é uma realidade que temos de privilegiar em família. Fazer com que Jesus faça parte da nossa família, ou seja, falar d'Ele com tanto carinho e naturalidade como se fala de qualquer outro membro da família.

Dentro desta realidade em que acreditamos, somos chamados a responder à invocação "O Senhor esteja convosco", afirmando com fé "Ele está no meio de nós". Fazê-lo presente no meio de nós exige que se crie intimidade pela oração e pela proximidade à Palavra de Deus. E por isso também aclamamos "Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo".

É claro que a catequese em família, a que nesta coluna chamamos de catequese doméstica, por ser a que se transmite desde os primeiros anos de vida e se apresenta em casa como uma expressão natural dos temas das conversas em família, não pode ficar resumida ao tempo da infância, quer seja na relação dos pais com os filhos, quer seja entre avós e netos.

A experiência e os testemunhos que vamos recolhendo dizem-nos que todos os cristãos precisam que lhes sejam relembradas as verdades da doutrina cristã, para a consolidação da fé e, sobretudo, para que essas verdades sejam aplicadas na vida de cada dia, no testemunho sincero e espontâneo dos batizados.

Em Igreja, vivemos cada domingo como o dia em que, juntos a Cristo, atualizamos o memorial do sacrifício redentor por Ele realizado com a Sua Paixão, Morte e Ressurreição. O povo cristão sente assim o desejo de dar graças a Deus pelos benefícios recebidos e fortalece interiormente a sua fé.

Recentemente, temos vindo a viver um tempo forte na celebração do sacramento do Crisma, sacramento esse em que cada crismando se apresenta na Igreja, pedindo a Deus que o confirme na fé. Pedindo que a cada resposta de "sim, creio", a sua fé se manifeste reforçada e o ajude a viver no espírito das bem-aventuranças, com o impulso do Espírito Santo.

Conhecer o Deus de Jesus Cristo, o Deus da misericórdia, do amor, do perdão e da paz é o que se pede a cada família. Até porque toda a nossa vida está sob o signo do Espírito que recebemos no Batismo e no Crisma, fazendo amadurecer os frutos do Espírito, que São Paulo refere na Carta aos Gálatas: amor, alegria, paz, paciência, bondade, benevolência, fé e mansidão.

Share

Próximos eventos

No events