PASTORAL DA FAMÍLIA

PATRIARCADO DE LISBOA

RSS Feed Facebook Subscreva a nossa Newsletter Contacte-nos

Eucaristia, alimento espiritual da família

Eucaristia, alimento espiritual da famíliaAo longo dos 10 anos de casamento que já celebrámos, em todos os Domingos e dias santos fomos à missa. Não houve doença ou férias que nos levassem a abdicar desta alegria que é a celebração da nossa comunhão com Deus Pai, Filho e Espirito Santo. Já desde o namoro que fizemos sempre por celebrar o Domingo, tendo no seu centro a Eucaristia e o serviço à Igreja. Mesmo quando nos ausentamos da nossa comunidade permanente, por Portugal ou pelo estrangeiro, sentimos uma alegria enorme pela experiência da universalidade do mistério da fé que aí celebramos, mas também pela experiência pessoal que cada um de nós vive no encontro com Cristo na Eucaristia. Na Eucaristia, cada um de nós coopera com a Graça de Deus; cada um, com a sua ação particular derivada do seu estado e dos seus dons (cf. 1 Cor 12, 12-31), contribui de modo diferenciado e complementar para a celebração da Eucaristia. Aí encontramos o que é a comunhão: Em primeiro lugar a união entre Deus e o homem consumada na entrega de Cristo por todos nós - a Igreja – pelo amor ao Pai; Em segundo lugar, porque esta entrega de Cristo se atualiza, perpetuando-se em cada celebração, participando cada um de nós nesta comunhão plena de Cristo. 

Continuar... Eucaristia, alimento espiritual da família

Casei – e agora?

Casei – e agora?Acompanhamento nos primeiros anos da vida matrimonial

Há dias ouvi uma partilha que achei muito bonita: no 50º aniversário de matrimónio dos seus avós, a neta perguntou à avó qual o segredo para a longevidade desta relação, ao que a avó respondeu com simplicidade -“o teu avô é o meu melhor amigo!”.

Para mim esta história é um estímulo, pois expressa bem que o matrimónio é a “decisão consciente e livre [dos cônjuges] de se pertencerem e amarem até ao fim” (AL, 217). E esta decisão tem que ser aprofundada e renovada dia após dia! É, por isso, indispensável o acompanhamento dos esposos nos primeiros anos de vida matrimonial.

Continuar... Casei – e agora?

Familiarmente - Setembro de 2017

Familiarmente - Setembro de 2017O Evangelho da Família: alegria para o mundo

De 21 a 26 de Agosto de 2018 a cidade de Dublin, na Irlanda, irá acolher o IX Encontro Mundial das Famílias, para o qual todos estamos convidados. Este evento reúne famílias católicas do mundo inteiro a cada três anos, desde 1994 (ano internacional da família), a convite do Santo Padre.

Continuar... Familiarmente - Setembro de 2017

Familiarmente - Julho 2017

Familiarmente - Julho 2017Família como Prioridade

Nesta edição queremos recordar a importância de trazer a Família para o centro de toda a dinâmica pastoral: a Família deve ser a Prioridade – como agente evangelizador e como núcleo a evangelizar. Precisamos de retomar um “estilo familiar de ser Igreja”. 

A Constituição Sinodal de Lisboa (2016), no ponto 66, incentiva a promoção da recomposição familiar da vida comunitária. Aí refere que “A importância da família para a vida de toda a sociedade é também um benefício para a Igreja, como escreve o Papa Francisco: «A Igreja é família de famílias, constantemente enriquecida pela vida de todas as igrejas domésticas. Assim, em virtude do sacramento do Matrimónio, cada família torna-se, para todos os efeitos, um bem para a Igreja» (AL 87). Nesta perspetiva, a atenção a cada pessoa tem de ter em conta a sua realidade familiar. Exige-se, portanto, que cada comunidade se questione acerca das relações que a constituem e suportam, descubra a riqueza e valorize o contributo das famílias e as valorize como protagonistas da evangelização. São muitas as famílias que não tendo uma prática religiosa regular procuram a Igreja para celebrar um sacramento ou para solicitar a catequese para as crianças. Num contexto de maior distância cultural face ao mundo da fé, este facto constitui uma oportunidade para que se proponham aos adultos formas concretas de descoberta da fé e de primeiro anúncio que favoreçam a sua integração eclesial. A formação e acompanhamento das famílias, nas suas complexas problemáticas, favorecem o nascimento de dinamismos fecundos de colaboração entre elas e as comunidades cristãs. Neste sentido, incentivem-se iniciativas pastorais que devolvam à família a responsabilidade da sua função educativa.”

De forma muito concreta, a Constituição apresenta 5 desafios à nossa Igreja Diocesana no que que se refere a FAMÍLIA (nº70, artº5):

⦁Caminhar com todas as famílias, anunciando-lhes o Evangelho que as ilumina e promove;

⦁Propor o Matrimónio cristão como caminho de vida e santidade, apostando na sua preparação na juventude e no tempo de namoro;

⦁Desenvolver as dimensões próprias da espiritualidade conjugal;

⦁Reforçar o contributo da família como sinal credível e sujeito ativo para a evangelização;

⦁Apoiar sempre as famílias, renovando-as na esperança e na confiança em Deus.


Ainda na rubrica Familiarmente deste mês de Julho:

A importância de fazer caminho em grupo

ComTributo à Igreja - Julho 2017

Programa do Sector da Pastoral Familiar para o ano pastoral 2017-2018 

Sugestão