Embarcar Juntos Numa Bela Aventura | Familiarmente Janeiro 2020

Escola de Pais – III

EMBARCAR JUNTOS NUMA BELA AVENTURA

Quando formamos uma família e recebemos de Deus o dom dos filhos, damo-nos conta de que a tarefa educativa é uma grande e belíssima missão que nos convoca e implica para toda a vida. 

Embarcar Juntos Numa Bela Aventura | Familiarmente Janeiro 2020

Delineamos prioridades: desejamos que os nossos filhos sejam felizes, que conheçam a realidade, que cresçam de forma integral, que desenvolvam os dons que receberam, mas sobretudo, que sejam santos, que a sua vida se cumpra, ou seja, que cada um descubra a vontade de Deus para a sua vida. Para isso, procuramos os melhores colaboradores para a nossa missão, antes de mais na família, na Igreja e na escola.

Uma das grandes “fatias de tempo” que requer a nossa atenção na tarefa educativa é a do tempo livre dos nossos filhos e, em geral, da nossa família. A presença dominante das novas tecnologias, nos dias de hoje, traz-nos vários dilemas educativos. O tempo de exposição aos ecrãs variados e os conteúdos (de qualidade bastante variável) a que as crianças podem aceder apenas à distância de um clic são alvo de bastante discussão. Se na idade adulta e com a respetiva maturidade associada se podem identificar várias vantagens num bom uso das tecnologias, na infância os efeitos da sua utilização suscitam-nos várias questões. 

Na primeira etapa das suas vidas, os nossos filhos têm uma curiosidade natural cujo principal motor é o contacto com a realidade e a interação com os outros (primeiro com aqueles com quem têm uma relação afetiva mais forte e, com o tempo, com uma comunidade que se vai alargando progressivamente). 

Muitas são as possibilidades de viver momentos ricos e felizes em família. Vou deter-me numa das formas sobre as quais, nos últimos anos, tenho lido bastante e arriscado experimentar na primeira pessoa as suas vantagens, por ter este gosto especial. Refiro-me aos momentos de leitura de histórias em voz alta, em família, ou seja, momentos em que a família se reúne, em torno de um belo livro e o lemos e discutimos em conjunto.

Um dia, a partir de uma sugestão de uma amiga, encontrei comunidades de famílias católicas com este gosto em comum. Dedicam-se a escolher bons livros, fazem sessões de leitura em família e partilham as suas experiências e descobertas. Procuram livros bem escritos e que contenham dentro um desafio ao crescimento humano de quem os lê. Fiquei muito impressionada com a riqueza e profundidade desta experiência. Comecei a acompanhá-la mais de perto, a colher das suas sugestões literárias e a dar ainda mais importância a estes momentos em nossa casa e ao bem que deles vinha.

Estas pessoas, como também verifico na minha família, testemunham que estes momentos têm sido verdadeiramente transformadores da sua vivência familiar: sentem que embarcam juntos em diversas aventuras, visitando novos locais, explorando o desconhecido, a partir das simples páginas de um livro. Passaram a ter expressões e piadas comuns, a encontrar semelhanças entre a vida quotidiana e o que acontecia com algumas personagens e recordar lições que tinham retirado de um livro, para ajudar a resolver problemas que viviam em determinada altura. Nasceu assim numa nova cultura familiar. Os mais novos (e arrisco dizer que também os mais velhos, que já conseguem ler sozinhos) ganharam mais gosto pela literatura, cresceram na capacidade de ouvir atentamente e em silêncio, melhoraram a sua “base de dados” vocabular, são hoje capazes de compreender e descrever melhor aquilo que veem e vivem. Escrevem melhor. Ao discutir o significado destas obras acabamos também por discutir o significado da vida. Um dos filhos de uma destas famílias dizia: “Quando ouço ler é como se estivesse a visualizar a história a cores. Quando a leio parece que a estou a ver a preto e branco.”

Ler em voz alta é como uma imagem daquilo que desejamos para a vida da nossa família - é como embarcar numa belíssima aventura, com um destino comum.

Maria João Anjos

 

 


 Ainda na rubrica do Familiarmente deste mês de Janeiro:

Educar Com Liberdade

Um Lugar de União

Concurso de Presépios 2019