PASTORAL DA FAMÍLIA

PATRIARCADO DE LISBOA

RSS Feed Facebook Subscreva a nossa Newsletter Contacte-nos

A Família Cristã (Familiaris Consortio)

A Família Cristã (Familiaris Consortio)Gostaríamos de apresentar um dos documentos mais importantes sobre a Pastoral Familiar, a Familiaris Consortio. Esta exortação apostólica de João Paulo II é escrita na sequência do Sínodo dos Bispos sobre a Família Cristã celebrado em Roma de 26 se Setembro a 25 de Outubro de 1980.

 

Na homilia do início da Assembleia Sinodal, o Papa João Paulo II falava da tarefa da Igreja apresentar às famílias cristãs na Igreja e no mundo contemporâneo a consciência da sua missão, que deriva da missão salvífica do próprio Cristo e alimenta-se da Palavra de Deus vivo e da virtude do sacrifício de Cristo. A tarefa da família é a de guardar e conservar os valores fundamentais da humanidade.

Na verdade, tal como hoje, há 35 anos a realidade familiar era atingida por transformações amplas, profundas e rápidas, quer sociais, quer culturais. Afirmava o Papa: «Neste momento da história em que a família é alvo de numerosas forças que a procuram destruir ou ao menos deformar, a Igreja, sabedora de que o bem da sociedade e de si mesma está profundamente ligado ao bem da família, sente de modo mais vivo e veemente a sua missão de proclamar a todos o desígnio de Deus sobre a matrimónio e a família, a fim de lhes assegurar a plena vitalidade e promoção humana e cristã, contribuindo assim para a renovação da sociedade e do próprio Deus» (n. 3).

Diante desta realidade, a Igreja queria oferecer a sua ajuda aos que conhecendo já o valor do matrimónio e da família, aos que incertos e ansiosos andam à procura da verdade e aos que eram impedidos de realizar livremente o ideal familiar. Na introdução a esta exortação o Papa dirigia-se especialmente aos jovens, de modo a que estes se preparassem bem para o matrimónio para os ajudar a descobrir a beleza e a grandeza da vocação ao amor e ao serviço da vida.

As duas primeiras partes desta exortação apresentam-nos as luzes e sombras da família de hoje (n. 4-10) e o desígnio de Deus sobre o Matrimónio e a família (n. 10-16). Os deveres da família cristã é o título da terceira parte desta Exortação (n. 17-64), na qual o Papa pede à família para se tornar naquilo que é. Esta é uma parte mais longa que se divide em 4 grandes grupos: a formação de uma comunidade de pessoas, onde se fala da família como comunhão de amor; o serviço da vida, que aborda todas as questões ligadas à transmissão da vida e à educação; a participação no desenvolvimento da sociedade, em que o Papa apresenta a família como a célula fundamental da sociedade; e, por fim, a participação da família na vida e na missão da Igreja, onde podemos entender a família como a comunidade crente e evangelizadora, a família como comunidade de Diálogo com Deus e, como comunidade de serviço ao homem. A quarta parte deste documento fala-nos das etapas, estruturas, responsáveis e situações da Pastoral Familiar (n.65-86).

O recente questionário feito à Diocese de Lisboa para preparar o Sínodo da Família revelava que cerca de 75% dos diocesanos de Lisboa não conheciam por dentro este documento. Antes de queremos que este Sínodo da família nos traga esta ou aquela mudança é fundamental que conheçamos a beleza do Magistério da Igreja sobre a família. Por isso fica aqui o desafio a que possamos ler na íntegra este documento tão atual e essencial para as nossas famílias.

P. Rui Pedro Trigo Carvalho

Publicado na rubrica Familiarmente do Jornal Voz da Verdade de 9 de Novembro de 2014

Share