PASTORAL DA FAMÍLIA

PATRIARCADO DE LISBOA

RSS Feed Facebook Subscreva a nossa Newsletter Contacte-nos

O Evangelho da Vida

O Evangelho da VidaA Encíclica «Evangelium Vitae», sobre o valor e a inviolabilidade da vida humana, foi escrita pelo Papa João Paulo II e apresentada à Igreja na solenidade da Anunciação do Senhor, a 25 de Março de 1995. Na base desta encíclica está uma profunda reflexão enriquecida com Consistório Extraordinário dos Cardeais de 1991 e do contributo do episcopado de cada país do mundo.

Nesta encíclica o Papa João Paulo II alerta que a Boa Nova da vida está no centro da mensagem de Jesus, pedindo à Igreja que seja fiel e corajosa anunciadora aos homens de todos os tempos e culturas. Lembra que o homem é chamado a uma plenitude de vida que se estende muito para além das dimensões da sua existência terrena, porque consiste na participação da própria vida de Deus. Esta vocação sobrenatural revela a grandeza e o valor precioso da vida humana. Neste sentido, a vida temporal é o momento inicial do processo global da existência humana. Afirma o Papa: «A vida é uma realidade sagrada que nos é confiada para a guardarmos com sentido de responsabilidade e levarmos à perfeição no amor pelo dom de nós mesmos a Deus e aos irmãos» (EV2).

O Concílio Vaticano II deplorou fortemente os múltiplos crimes e atentados contra a vida humana: «tudo quanto se opõe à vida, como seja toda a espécie de homicídio, genocídio, aborto, eutanásia e suicídio voluntário; tudo o que viola a integridade da pessoa humana, como as mutilações, os tormentos corporais e mentais e as tentativas para violentar as próprias consciências; tudo quanto ofende a dignidade da pessoa humana, como as condições de vida infra-humanas, as prisões arbitrárias, as deportações, a escravidão, a prostituição, o comércio de mulheres e jovens; e também as condições degradantes de trabalho, em que os operários são tratados como meros instrumentos de lucro e não como pessoas livres e responsáveis» (GS 27).

Trinta anos depois deste documento conciliar, o Papa afirma que este panorama tem vindo a aumentar, vão nascendo outras formas de atentados à dignidade do ser humano, enquanto se delineia e consolida uma nova situação cultural que dá aos crimes contra a vida um aspecto ainda mais iníquo: amplos sectores da opinião pública justificam alguns crimes contra a vida em nome dos direitos da liberdade individual e, sobre tal pressuposto, pretendem não só a sua impunidade mas ainda a própria autorização da parte do Estado para os praticar com absoluta liberdade e, mais, com a colaboração gratuita dos Serviços de Saúde. Para além disso as legislações de muitos países tem consentido em não punir ou mesmo até reconhecer a plena legitimidade de tais ações contra a vida. A própria medicina que, por vocação, se orienta para a defesa e cuidado da vida humana, em alguns dos seus sectores vai-se prestando em escala cada vez maior a realizar tais atos contra a pessoa, deformando o seu rosto, contradiz-se a si mesma e humilha a dignidade de quantos a exercem (Cf. EV3-4).

A encíclica o Evangelho da Vida é uma reafirmação do valor da vida humana e da sua inviolabilidade. É um ardente apelo dirigido em nome de Deus a todos e cada um: respeita, defende, ama e serve a vida, cada vida humana! Unicamente por esta estrada, encontrarás justiça, progresso, verdadeira liberdade, paz e felicidade!

Que a leitura desta encíclica nos ajude a crescer na consciência de uma cultura da vida de forma a que possamos dar ao mundo sinais de esperança para a edificação de uma autêntica civilização da verdade e do amor.

Texto escrito por Pe. Rui Pedro Trigo Carvalho, publicado na rubrica Familiarmente do Jornal Voz da Verdade de 8 de Fevereiro de 2015

Artigos da rubrica Familiarmente deste mês:

Share