PASTORAL DA FAMÍLIA

PATRIARCADO DE LISBOA

RSS Feed Facebook Subscreva a nossa Newsletter Contacte-nos

Catequese Doméstica: A Família no plano de Deus (nºs 35 a 41 do Relatório final do Sínodo dos Bispos)

Catequese Doméstica: A Família no plano de Deus (nºs 35 a 41 do Relatório final do Sínodo dos Bispos)Depois de olhar para a realidade familiar no nosso tempo, a segunda parte do relatório final do sínodo dos Bispos contempla a família no desígnio de Deus. Afirma o documento que é fundamental que saibamos o que a Igreja ensina sobre a família à luz da Sagrada Escritura e da Tradição. Os participantes do Sínodo afirmam que esta «palavra corresponde às expetativas humanas mais profundas de amor, verdade e misericórdia, e desperta potencialidades de dom e de acolhimento, inclusive nos corações feridos e humilhados» (nº35).

Este primeiro capítulo da segunda parte deste documento aborda a temática da família na história da salvação. Começa por afirmar que devemos compreender o sacramento do matrimónio na continuidade com matrimónio das origens, baseado na ordem da criação (cf. nº37).

Nas palavras de Jesus sobre o matrimónio podemos reconhecer três etapas fundamentais no plano de Deus. Ao princípio, quando Deus criador instituiu o matrimónio primordial. Deus não só criou o ser humano masculino e feminino, mas também os abençoou para que fossem fecundos e se multiplicassem. A segunda etapa refere-se a esta união ferida por causa do pecado, e aqui no seio da tradição de Israel, encontramos a monogamia e a poligamia, a estabilidade e o divórcio. É também nesta fase que encontramos a concessão de Moisés sobre a possibilidade do divórcio. Por fim, a reconciliação do mundo caído, com a vinda do Salvador, onde se reintegra o projeto divino originário e se conduz a história do Povo de Deus a uma nova realização. (cf. nº40) Assim o matrimónio torna-se sinal do amor de Cristo pela Igreja, um amor uno, fiel, indissolúvel e fecundo.

Em toda a vida de Jesus a realidade familiar está presente. A maior parte da vida de Jesus acontece no seio da Sagrada Família em Nazaré. O início da vida pública acontece nas Bodas de Caná, vemos Jesus presente na família de Lazaro, de Pedro. Jesus atende os prantos dos pais pelos filhos doentes, revela o Evangelho da misericórdia na vida familiar com o perdão da mulher adúltera, no encontro com a Samaritana.

Por fim, a Palavra e o comportamento de Jesus mostram claramente que o Reino de Deus é o horizonte de todas as relações. Os laços familiares, sendo fundamentais, não são porém absolutos, pois todos são chamados a fazer parte da família de Deus - essa é a realidade definitiva (cf. nº41).

P. Rui Pedro Trigo Carvalho

Share