PASTORAL DA FAMÍLIA

PATRIARCADO DE LISBOA

RSS Feed Facebook Subscreva a nossa Newsletter Contacte-nos

ComTributo à Igreja - Novembro 2016

ComTributo à Igreja - Novembro 2016

À luz da Palavra, é o nome do Capítulo I da Exortação Apostólica Amoris Laetitia, A Alegria do Amor. Segundo o Papa Francisco, “a Bíblia aparece cheia de famílias, gerações, histórias de amor e de crises familiares, desde as primeiras páginas…”

Tu e a tua esposa

A família vem claramente definida na Bíblia, pelas próprias palavras de Jesus: “Não lestes que o Criador, desde o princípio, os fez homem e mulher?”.

Ser casal, é ser “escultura” viva, capaz de mostrar Deus. …”a capacidade que o casal humano tem de gerar é o caminho por onde se desenrola a história da salvação.” São João Paulo II, dizia estas palavras riquíssimas: “O nosso Deus, no seu mistério mais íntimo, não é solidão, mas uma família, dado que tem em Si mesmo paternidade, filiação e a essência da família, que é o amor. Este amor, na família divina, é o Espírito Santo.” 

São Paulo, relacionava, a propósito deste aspeto trinitário, o casal o “mistério” da união entre Cristo e a Igreja.

Na criação do mundo, o homem não consegue vencer a solidão, quando vê animais e outros seres vivos. Isso só acontece quando vê um semelhante, a mulher, “… num diálogo também sem palavras, porque no amor, os silêncios costumam ser mais eloquentes do que as palavras…”

“Deste encontro, que cura a solidão, surge a geração e a família.”

Os teus filhos como rebentos de oliveira

A palavra que mais aparece no Antigo Testamento, depois de Senhor, é filho. Os filhos são as “pedras vivas” da família, do mesmo modo que os pais são os alicerces. No Novo Testamento, fala-se da Igreja que se reúne em casa. Quando Jesus bate à porta da nossa casa, se a abrirmos, ele entrará para ficar, para habitar entre nós.

“A Bíblia considera a família também como o local da catequese dos filhos.” E é impressionante ver, como a Bíblia está sempre atual, é intemporal. Hoje em dia, no Ocidente, falta muito esta perspetive, de que em casa é que educa para os valores. Os pais devem cumprir a missão de educar os seus filhos. Os filhos devem honrar os seus pais, sendo que honrar, indica “o cumprimento das obrigações familiares e sociais em toda a sua plenitude, sem os transcurar com desculpas religiosas.”

Os filhos não propriedade da família, uma vez que devem seguir o seu caminho pessoal. Devem obediência aos pais, mas por amor e entrega ao Reino de Deus, poderão seguir outro caminho, diferente das dos seus pais. Por outro lado, Jesus valoriza imenso as crianças, apresentando-as mesmo como mestres, no que à confiança simples e à sua espontaneidade diz respeito.

Um rasto de sofrimento e sangue

A Palavra de Deus, é uma companheira de viagem. Há várias citações na Bíblia de sofrimento e sangue, que fazem parte da nossa vida, e que vamos buscar forças para as ultrapassar em Cristo, pois ele também passou por situações de sofrimento extremo.

O fruto do teu próprio trabalho

O trabalho é apresentado, desde as primeiras páginas da Bíblia, como parte fundamental da dignidade da vida humana: “O trabalho torna possível simultaneamente o desenvolvimento da sociedade, o sustento da família e também a sua estabilidade e fecundidade.”

São Paulo estava tão convencido da importância do trabalho, que disse: “Se alguém não quer trabalhar, também não coma.”

A ternura do abraço

Devemos reger-nos pelos frutos do amor: a misericórdia, o perdão e a ternura. 

“A família é chamada a compartilhar a oração diária, a leitura da Palavra de Deus e a comunhão eucarística, para fazer crescer o amor e tornar-se cada vez mais um templo onde habita o Espírito.” Assim, deve cada família ter “diante de si o ícone da família de Nazaré”.

Bruno de Jesus

 

Share

Próximos eventos

27maio
Dom. maio 27, 2018
Festa Diocesana da Família
31maio
Qui. maio 31, 2018
Dia dos irmãos
01Jun.
Sex. Jun. 01, 2018
DIa da criança
26Jul.
Qui. Jul. 26, 2018
Dia dos avós
22Ago.