PASTORAL DA FAMÍLIA

PATRIARCADO DE LISBOA

RSS Feed Facebook Subscreva a nossa Newsletter Contacte-nos

Celebrar o Advento

Celebrar o AdventoHá uma semana atrás o Santo Padre na sua habitual audiência de quarta-feira, lançou-nos uma pergunta essencial: "Como podemos falar de Deus hoje?"

De facto, comunicar a fé não significa levar aos outros uma mensagem impessoal, mas trata-se de transmitir publicamente a experiência do encontro que cada um faz com Cristo, a começar na própria família. Entenda-se que a Família é um lugar privilegiado para falar de Deus, onde se deve procurar fazer entender que a fé é uma profunda alegria que transforma a nossa vida.

Continuar... Celebrar o Advento

Cristo-Rei

Cristo-ReiA Igreja celebra a solenidade de Jesus Cristo Rei do Universo fora do domínio de ordem temporal, mas no seu amplo e verdadeiro contexto litúrgico e teológico: Cristo é efectivamente Rei, mas numa ordem diferente da temporal, como Ele mesmo afirmou.

O princípio "hierárquico" da Igreja consiste no próprio Cristo, que nela age quando os ministros ordenados fazem ou concedem algo que por si mesmos não fariam ou concederiam: a celebração dos sacramentos e o inerente ensinamento da verdade de Deus.

Continuar... Cristo-Rei

"O amor que converte"

Amar a Deus sobre todas as coisas e amar o próximo como a si mesmo (cf. Dt 6, 5; Lv 19, 18)

No Antigo Testamento, muitos textos apresentam estas duas leis fundamentais, as quais são invocadas por Jesus Cristo, acrescentando que não veio revogar a Lei, mas veio completá-la. Para fundamentar esta sua posição, Jesus anuncia "Dou-vos um mandamento novo, que vos ameis uns aos outros como Eu vos amei" (Jo 13, 34).

Para Jesus, a Lei resume-se a uma atitude constante de amor em todas as circunstâncias, sendo que a ressurreição como atitude no cumprimento da Lei é o objetivo para a salvação.

Continuar... "O amor que converte"

"Sim, Creio"

Professar a fé é dizermos para cada um de nós e para o mundo que acreditamos em Deus. É dizer a Deus que acreditamos na Sua manifestação em três Pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo. É dizer que fazemos parte da Igreja, Corpo de Cristo, que se alimenta e renova pela Palavra e pelos Sacramentos - sinais sagrados que têm significado e produzem efeito.

Hoje, mais do que nunca, é pedida uma catequese continuada, de carácter familiar, que se inicia logo que as crianças começam a ter conhecimento e aprendem, naturalmente, a expressão do amor. Uma catequese que crie raízes, começando pela visualização dos símbolos cristãos. Por isso, os pais são convidados a traçar o sinal da cruz na testa das crianças apresentadas ao batismo.

Continuar... "Sim, Creio"

"A paz esteja convosco" (Jo 20, 19.21)

Hoje vivemos um tempo de grandes cargas horárias: na profissão, nos transportes, nos horários escolares, nas atividades extracurriculares, etc. Também os mais velhos e debilitados em termos de saúde se ressentem desta "falta de tempo" e afirmam que a carga é pesada.

Um dos aspetos da missão de Jesus pode ser resumido na sua afirmação "Vim para que tenham vida e a tenham em abundância" (Jo 10, 10). A vida de que Jesus é portador é a vida de Deus: a alegria e a paz são componentes dessa mesma vida.

Continuar... "A paz esteja convosco"  (Jo 20, 19.21)

Vocação para a santidade

Vocação para a santidade No passado domingo do Bom Pastor (IV da Páscoa) terminou a Jornada Mundial de Oração pelas Vocações em que o Santo Padre Bento XVI pediu para rezarmos pela Igreja, por cada comunidade local, para que seja como um jardim regado, onde possam germinar e crescer todas as sementes de vocação que Deus semeia em abundância.

Há que aprofundar a consciência de que as famílias são o primeiro ambiente onde se "respira" o amor de Deus, que dá força interior para vencer as dificuldades do dia a dia. Quem vive em família a experiência do amor de Deus, recebe um dom inestimável, que dá fruto no seu tempo.

Continuar... Vocação para a santidade 

Celebrar a Páscoa

Celebrar a PáscoaDesde crianças, os filhos e netos devem ser educados para a escuta da Palavra, retomando em casa aquilo que se ouve na comunidade. O encontro com Jesus Ressuscitado, na compreensão da Sua Páscoa, deve alimentar-se na memória do Seu contacto com os homens, na narração do Evangelho, na realidade do pão repartido e do Corpo oferecido.

Jesus reconhece, vive e recomenda o significado do sábado judaico. Jesus cumpre o sentido do sábado, Ele, que é o Senhor do sábado, libertando o homem do mal. O Filho Unigénito de Deus fez-se homem, ensinou, morreu e ressuscitou, está vivo para nos receber e premiar. Ele fortalece-nos pela sua Palavra e conduz-nos à Verdade Plena.

Continuar... Celebrar a Páscoa

No calor da fé

No calor da féA fé da Igreja é uma fé trinitária confessando um só Deus em três Pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo. Dizer que temos fé, é assim, proclamar que estas três Pessoas Divinas (embora distintas entre si) são um só Deus: o Pai gera o Filho, o Filho é gerado pelo Pai, o Espírito Santo procede do Pai e do Filho.

Não podemos aceitar que um "cristão adulto" afirme que a fé é "acreditar em algo"... Ter fé é acreditar num só Deus, o que implica conhecer a sua grandeza e majestade, viver em ação de graças e confiar sempre n'Ele, até nas adversidades.


Como Tu, Pai, estás em Mim e Eu em ti, que também eles estejam em Nós, para que o mundo creia que Tu Me enviaste. Eu dei-lhes a glória que Tu Me deste, para que sejam um como Nós somos um: Eu neles e Tu em Mim para que sejam perfeitos na unidade e assim o mundo saiba que Tu Me enviaste e os amaste como Me amaste a Mim. (Jo 17, 21-23)

O mistério da Santíssima Trindade, um só Deus em três Pessoas, é aqui afirmado por Jesus com toda a clareza: o amor vem até nós pela ação do Espírito Santo. Jesus quer revelar-nos este mistério antes de dar a sua vida e ressuscitar. Jesus pede ao Pai uma aparente incoerência, considerando a nossa condição de pecadores: que todos sejamos um, como Ele, o Pai e o Espírito de Amor são um.

Com a quarta-feira de cinzas iniciámos o tempo Pascal, no qual se insere um período de quarenta dias de preparação, designado por Quaresma: uma caminhada que há-de ser o acolhimento do convite que o Senhor nos faz, de nos abeirarmos dele com verdade e confiança. É preciso que tenhamos coragem e desejo de nos enriquecermos de luz através da sua Palavra e poderemos assim perceber no Evangelho este grande projeto de amor e ação permanente de Cristo Redentor connosco.

Para o mês de Março o Papa Bento XVI exortou os fiéis a rezar pelo reconhecimento do papel da mulher na sociedade e pelos cristãos perseguidos especialmente na Ásia, porque são discriminados, perseguidos e condenados à morte por causa do nome de Cristo.

No Ocidente vamos deixando cair o dom da fé que cada um recebe no batismo. Parece que estamos instalados no calor de uma fé que vivemos com pouco entusiasmo, ao passo que em terras longínquas há quem precise da nossa oração para que se sinta mais forte em anunciar o amor de Deus pelo homem.

É pela necessidade de imprimir um novo vigor no alargamento da fé cristã, que se impõe o ardor de uma Nova Evangelização na Europa.

Próximos eventos

06maio
Dom. maio 06, 2018
Dia da Mãe
14maio
Seg. maio 14, 2018
Semana da Vida
15maio
27maio
Dom. maio 27, 2018
Festa Diocesana da Família
31maio
Qui. maio 31, 2018
Dia dos irmãos