PASTORAL DA FAMÍLIA

PATRIARCADO DE LISBOA

RSS Feed Facebook Subscreva a nossa Newsletter Contacte-nos

Ecos sobre o encontro de formação com o Padre José Granados

Ecos sobre o encontro de formação com o Padre José GranadosNo passado dia 25 teve lugar uma jornada de formação sobre Pastoral Familiar, orientada pelo Pe. José Granados, vice-presidente do Instituto Pontifício Teológico João Paulo II para as Ciências do Matrimónio e da Família de Roma. Inúmeras vezes foi referida a dimensão estruturadora da Pastoral Familiar como única pastoral não sectorial que integra e acompanha o percurso total da vida das pessoas.

A Igreja tem o seu foco no homem, a vocação do homem passa pelo amor e este amor é aprendido e realmente vivido no seio da família. O problema de hoje é que o amor está: secularizado (o que não faz sentido se pensarmos que em todas as culturas a sexualidade aparece sempre ligada ao sagrado); privatizado (a sexualidade conjugal era a base da familia e agora cada um é tudo para o outro); emotivizado (o amor tornou-se apenas uma emoção, um sentimento) e desencarnado (ser homem ou mulher já não interessa, o corpo não revela quem somos). Mas a familia é precisamente o lugar a partir do qual somos salvos de naufragar no amor liquido do nosso tempo e, por isso, a familia é a misericórdia de Deus. É na família que se aprende o conceito de “para sempre” pois a família onde se é amado e acolhido será sempre a “nossa” família. Em especial numa sociedade anti-família, onde palavras como pai, mãe, filho, mulher, homem e amor estão cada vez mais a perder o seu verdadeiro significado, onde as pessoas têm cada vez mais dificuldade em se comprometer. Nas palavras de S. João Paulo II, “a família é o caminho da Igreja” e por essa razão falar de familia é também falar de fé, como aliás é bem patente em toda a história do povo de Deus. Desde a criação de um primeiro casal, passando pela arca de Noé onde Deus providenciou uma casa para, a partir da familia, recomeçar uma nova geração, incluindo Abraão cuja relação com Deus foi marcada pelas vicissitudes das relações familiares: a mulher que não podia ter filhos e a experiência de que os filhos são um dom de Deus. Finalmente culminando na encarnação onde Deus se fez homem no seio de uma familia. O Pe. José Granados falou da familia como uma arquitetura, onde a própria familia é o sujeito da edificação e abordou os métodos usados na construção. Ouvir o Pe. Granados é como apreciar uma obra de arte naquilo em que a beleza revela o divino. A forma simples e clara como aborda temas tão complexos torna-os belos e atrativos. Enche-nos de confiança, restaura em nós a esperança e reafirma o sentido e a alegria que é trabalhar na Pastoral Familiar.

Testemunho de Joana Dias Mendes e Maria José Vilaça

 

Share

Próximos eventos

06maio
Dom. maio 06, 2018
Dia da Mãe
14maio
Seg. maio 14, 2018
Semana da Vida
15maio
27maio
Dom. maio 27, 2018
Festa Diocesana da Família
31maio
Qui. maio 31, 2018
Dia dos irmãos