PASTORAL DA FAMÍLIA

PATRIARCADO DE LISBOA

RSS Feed Facebook Subscreva a nossa Newsletter Contacte-nos

O regresso à terra

O regresso à terraEstão feitas as colheitas e prepara-se a terra para uma nova época. É o renovar constante de uma prática produtiva. É um trabalho que nunca está terminado e precisa de ser reiniciado todos os anos. Assim é o fator produtivo; assim é o crescimento em família, numa sementeira diária, num trabalho constante e que se renova na alegria do contributo de todos.

Continuar... O regresso à terra

O Trabalho e a Família

O Trabalho e a FamíliaA Sagrada Família trabalhava: segundo a Sagrada Escritura, José era carpinteiro (Mt 13, 55); Maria, segundo a cultura da época, ocupava-se dos trabalhos da casa e da educação de Jesus; Jesus deverá ter aprendido de seu pai a profissão de carpinteiro na oficina de Nazaré. Atentar neste facto pode ajudar-nos a perceber que o trabalho é realidade integrante da vida familiar e que se reveste de grande importância e dignidade, pois doa-nos a capacidade de nos mantermos, a nós e à nossa família, e permite-nos participar na ação criadora de Deus.

Porém, conciliar o trabalho e a família pode ser um desafio exigente!

Continuar... O Trabalho e a Família

A família e o descanso

A família e o descansoPara a maior parte das famílias, Setembro é tempo de regresso ao trabalho e à escola. Contudo, permanece na nossa memória a recordação do tempo de férias e do tão desejado descanso, essencial para a vida do Homem. O descanso é tão importante que o redator do livro do Génesis sentiu mesmo necessidade de o identificar com uma das principais criações de Deus (cf Gn 2, 2-3). É tão importante, que Jesus convidava os seus discípulos a retirar-se para orar e descansar. A referência ao descanso na Bíblia não é apenas para alívio do cansaço físico, mas sobretudo para rejuvenescimento espiritual. Jesus convida-nos a aproximar-nos dele para aliviar o nosso cansaço: "Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração e encontrareis descanso para o vosso espírito. " (cf Mt 11,29) O descanso que Jesus nos oferece prepara-nos para entrar no repouso de Deus, que nos foi prometido (cf Hb 4,10).

As férias são o tempo favorável ao descanso, são a pausa necessária para aliviar o cansaço físico e ganhar energia. Mas também são tempo de serenar o coração, procurar estar em paz consigo mesmo e com os outros. Mais do que tempo de fazer, as férias são tempo para estar. São tempo de amar e ser amado e, sobretudo, tempo de Deus, que não pode ser afastado das nossas férias! Devemos fazer férias com Deus, não férias de Deus.

Continuar... A família e o descanso

"Deixo-vos a Minha Paz"

Naquele domingo foi a avó que lançou a confusão, lendo e questionando a seguinte passagem do evangelho "Pensais que eu vim estabelecer a paz na terra? Não. Eu vos digo que vim trazer a divisão." (Lc 12, 50). Porque diz Jesus estas palavras tão duras?

Em família, como na sociedade, há sempre alguma divergência de opiniões e de convicções. Também em família, sabemos bem que alguns podem aceitar Jesus, aceitar seguir o Seu Caminho, Verdade e Vida, enquanto outros Lhe são indiferentes ou não aceitam mesmo a verdade da Pessoa de Jesus Cristo, nem vivem em conformidade com ela, criando, assim, conflitos e divisões. Porém, é em Igreja que aprendemos a avaliar, a saber distinguir o Bem do Mal, a identificar a Palavra de Deus como um meio sempre atual para a nossa conversão.

Continuar... "Deixo-vos a Minha Paz"

O ano de 2012 com a Família

O ano de 2012 com a FamíliaUm ano que terminou e deixou marcas pelas intervenções a favor da família. Seguimos esta caminhada de testemunho d’Aquele em quem confiamos, na certeza de que assumir a vida como mistério de fé é a resposta do homem crente à manifestação do amor de Deus.

O ano de 2012 foi muito marcado em todo o mundo pelas questões que afetam a Família. Segundo Bento XVI, é incontestável, especialmente no mundo ocidental, a “crise” que ameaça a família “até nas suas próprias bases”.

Continuar... O ano de 2012 com a Família

Da Fé à Caridade

Van GoghNa Carta aos Hebreus: «Prestemos atenção uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras» (10, 24), esta passagem bíblica oferece um ensinamento precioso e sempre atual sobre três aspetos da vida cristã: prestar atenção ao outro; estimular a reciprocidade; e procurar alcançar a santidade pessoal. Esta frase aparece inserida numa passagem onde o escritor sagrado exorta a ter confiança em Jesus Cristo como Sumo Sacerdote, que nos obteve o perdão e o acesso a Deus. Também hoje Deus nos pede para sermos o «guarda» de cada um dos membros das nossas famílias, para estabelecermos relações caracterizadas por uma recíproca solicitude, pela atenção ao bem do outro e a todo o seu bem. A atenção ao outro inclui que se deseje, para ele ou para ela, o bem sob todos os seus aspetos: físico, moral e espiritual. Parece que a cultura contemporânea perdeu o sentido do bem e do mal, sendo necessário reafirmar com vigor que o bem existe e vence, porque o bem é aquilo que cria, protege e promove a vida, a fraternidade e a comunhão.

Continuar... Da Fé à Caridade

Quantos somos, quem somos

Quantos somos, quem somos  À procura de sabermos quem somos, incutimos em cada membro da família a dimensão de gratuidade e de autonomia. Formar para que o outro cresça é tarefa de todo o educador e este tempo de férias é um tempo por excelência para tornar este objectivo numa realidade.

Formar para a vida e deixar marcas dessas experiências que perdurem no tempo e possam ser transmitidas a outras gerações, é um caminho que se percorre na entrega e na partilha.

“Quem semeia pouco também colherá pouco e quem semeia abundantemente também colherá abundantemente” (2Cor 9, 6)

Continuar... Quantos somos, quem somos  

Não deixes para amanhã o que podes fazer hoje!

Não deixes para amanhã o que podes fazer hoje!Hoje, mais do que nunca, temos de dar ouvidos aos mais velhos; àqueles cuja experiência de vida nos pode alertar para os perigos do facilitismo e do “ter mais olhos que barriga”. Preparar o futuro é uma obrigação de sempre e as gerações mais novas já perceberam que os mais velhos não estão a acautelar o seu amanhã. Se nos regozijamos com o que conseguimos construir, como reagimos à onda de destruição das coisas e da pessoa humana? Há que acreditar no homem mas, para isso, há que viver o Evangelho, transmitindo ao mundo a beleza da novidade da vida cristã.

Continuar... Não deixes para amanhã o que podes fazer hoje!

Próximos eventos

06maio
Dom. maio 06, 2018
Dia da Mãe
14maio
Seg. maio 14, 2018
Semana da Vida
15maio
27maio
Dom. maio 27, 2018
Festa Diocesana da Família
31maio
Qui. maio 31, 2018
Dia dos irmãos