PASTORAL DA FAMÍLIA

PATRIARCADO DE LISBOA

RSS Feed Facebook Subscreva a nossa Newsletter Contacte-nos

Porquê casar pela Igreja?

Porquê casar pela Igreja?Esta é uma pergunta tão importante. Há tanto para dizer, é tão significativo e fundamental que não sei por onde começar…

Casar pela Igreja é, antes de mais, receber o carinho e o amor incondicional de Deus de uma maneira excepcional, ao que chamamos receber o sacramento do matrimónio. Através dele, Deus “entra” no casamento e torna-se o seu alicerce mais fundamental. O casal torna-se, assim, ainda mais consciente de que Deus está a seu lado, “para o que der e vier”, e que Ele fará tudo para que o casamento possa ser fonte de felicidade e alegria.

O dia do casamento, para ter sentido, precisa de ser um ponto de chegada e de partida para o casal.

Ponto de chegada de uma relação que começou a ser construída, há tempo atrás. Relação de amizade dialogada, de conhecimento mutuo trabalhado, de caminhos discernidos, de oração que alimenta o caminhar, de arestas polidas, de sincronização de projetos, de desafios novos assumidos juntos e de um crescer ajudando e deixando-se ajudar, aprendendo a acertar o passo onde o companheiro de viagem é Deus. O casamento é a confirmação do sonho que o casal quer viver e que Deus deseja e abriga mais do que ninguém.

É, também, ponto de partida para a concretização desse mesmo sonho. Jesus, através da sua entrega constante na Eucaristia, do seu corpo e do seu sangue e da sua Palavra, faz-nos capazes de amar em todas as situações, mesmo quando as nossas forças se acabam e não podemos mais.

Casar é abrir-se com generosidade e compromisso responsável a uma vida fecunda. O amor é sempre criador, aberto e expansivo pelo que não pode fechar-se caprichosamente sobre si próprio, nem só sobre uma relação a dois.

Ao casar pela Igreja, o casal compromete-se, com a mesma Igreja a viver o amor de Jesus. Cada um dos noivos promete ser reflexo vivo de Jesus, na sua vida de família e pede ajuda à comunidade cristã e a todas as pessoas que lhe são significativas, para viver este mesmo sonho.

Ser rosto de Deus leva cada membro do casal a amar o outro com fidelidade, decisão e paixão, ajudando-o a crescer, a ser feliz e envolvendo todas as pessoas próximas nesse remoinho de amor. Este não será perfeito nem fácil, pois somos frágeis, mas permitirá ao casal, com a ajuda de Deus e de toda a comunidade, ultrapassar as tempestades e ventanias para construir uma relação que dá força, firmeza e esperança. Não há que esquecer que é no meio das tormentas que o sim dado naquele dia diante de todos e de Deus se torna razão de continuar, motivo para apostar sem desistir.

Casar pela Igreja é saber que há que tentar amar mais, muito e sempre, mesmo quando os ventos são contrários. E, é saber que há que aprender, também, a deixar-se amar.

Casar é, assim, a confirmação de que a relação do casal é profundamente humana e divina. Assim, os noivos, ao casarem revelam que querem fazer parte de uma família, que tem a Deus como Pai e a Jesus como irmão. Família com muitos irmãos com os quais é possível construir uma nova sociedade onde todos possam ser felizes e possam ser respeitados e amados pelo que são. Tudo isto só é possível pelo Espírito que dá a força e o discernimento.

Casar diante de Deus e na Igreja, num compromisso diante de todos, é pois querer que a relação a dois se a abra a participar no sonho que Deus tem: a construção de um mundo de mais paz e de mais amor.

texto de João Costa, Fraternidade Missionária Verbum Dei, publicado na rubrica Familiarmente do Jornal Voz da Verdade de 11 de Janeiro de 2015

Artigos da rubrica Familiarmente deste mês:

 

 

Share

Próximos eventos

27Out.
Sáb. Out. 27, 2018
Forum Wahou!
27Out.
Sáb. Out. 27, 2018 @15:00 -
Caminhada pela Vida
10Nov.
23Nov.
Sex. Nov. 23, 2018
Retiro da Vinha de Raquel