PASTORAL DA FAMÍLIA

PATRIARCADO DE LISBOA

RSS Feed Facebook Subscreva a nossa Newsletter Contacte-nos

A alegria do dom de si

A alegria do dom de siAo entrar na Quaresma e no seguimento do tema do ano “A fé atua pela caridade”, propomos com este Familiarmente olhar para a família como o lugar da doação pessoal, na qual se vive a alegria da fé. Como tal, recuperamos as palavras do papa Francisco na homilia da santa missa celebrada na Peregrinação Internacional da Família de Outubro último, precisamente sobre o tema “familia, vive a alegria da fé”. Dizia o santo padre que “a alegria verdadeira vem da harmonia profunda entre as pessoas, que todos sentem no coração, e que nos faz sentir a beleza de estarmos juntos, de nos apoiarmos uns aos outros no caminho da vida. Mas, na base deste sentimento de alegria profunda está a presença de Deus, a presença de Deus na família, está o seu amor acolhedor, misericordioso, cheio de respeito por todos.”

 

São duas as ideias principais que aqui se expressam: que a alegria verdadeira resulta da harmonia entre as pessoas; e que ela brota da presença de Deus. A família, enquanto célula base da sociedade, deve ser lugar de encontro de diferentes gerações que, através da comunhão de vida, se vão desenvolvendo como pessoas. Isto só é possivel através da doação de cada um pelo outro, com a graça de Deus.

A doação de si na família encontra na união entre homem e mulher o modelo paradigmático. Deus criou o Homem por amor, e por amor criou-o à Sua imagem; “Ele os criou homem e mulher” (Gn 1, 27). Ao ser criada à imagem de Deus, que é amor, a humanidade foi criada para o amor, pelo que o amor mútuo do homem e da mulher se torna imagem do amor absoluto com que Deus nos ama. Assim, o Homem realiza-se quando se dá pelo outro, o homem pela mulher e a mulher pelo homem, realizando assim a sua vocação à fecundidade e cuidado da criação. Este é o modelo para todas as relações familiares, pois como nos diz o número 37 da Familiaris Consotio, “o dom de si, que inspira o amor mútuo dos cônjuges, deve pôr-se como modelo e norma daquele que deve ser actuado nas relações entre irmãos e irmãs e entre as diversas gerações que convivem na família”.

Para aprofundarmos um pouco mais esta alegria do dom de si, neste mês deixamo-vos com uma história que ilustra a alegria de ser família, naquilo que é um exemplo de um encontro entre gerações que pode com facilidade ser transposto para a catequese intergeracional, em que os mais velhos ensinam as orações aos mais jovens e estes oferecem a sua pureza que converte os corações mais empedernidos. Também a catequese doméstica deste mês aborda precisamente a alegria de dar, que encontra na participação nos sentimentos de Cristo – que se doou plenamente por cada um de nós - um sinal da revelação de Deus.

Publicado na rubrica Familiarmente do Jornal Voz da Verdade de 9 de Março de 2014.

 

Outros artigos da rubrica Familiarmente deste mês:

Share

Próximos eventos

26Jul.
Qui. Jul. 26, 2018
Dia dos avós
22Ago.